Produção de Energia Eléctrica Através do Plástico

Transformar plástico em electricidade é uma realidade

O plástico é uma das maiores preocupações ambientais da actualidade, dado que nem todo ele pode ser reciclado de forma sustentável, o que faz com que vá parar aos Oceanos, principalmente em países sub-desenvolvidos. Em Inglaterra, na Universidade Chester, um grupo de investigadores desenvolveu uma tecnologia que consegue transformar os resíduos plásticos, nomeadamente esses sem possibilidade de reciclagem, em electricidade.

O projecto em causa, levado a cabo em parceria com a empresa de energia PowerHouse Energy, baseia-se na utilização de uma câmara de conversão térmica, que reutiliza plástico que seria habitualmente deitado fora.
O projecto é designado como W2T (Waste2Tricity) e consiste na vaporização do plástico, que liberta uma certa quantidade de hidrogénio, que actua como gás natural sintético (syngas), que é utilizado para a produção de electricidade.

No final do processo, fica a sobrar apenas uma pequena quantidade de partículas sólidas e líquidas, mas não existe nenhuma quantidade de gás desperdiçada.

O W2T ainda está em fase de estudo e expansão, mas a intenção é conseguir construir uma fábrica em Inglaterra, de modo a que esta inovação possa ser testada em grande escala e utilizada na prática.

Um dos grandes objectivos da equipa de investigadores é – caso se confirme o funcionamento em grande escala – construir fábricas em países Asiáticos, ajudando desse modo a reduzir a quantidade de plástico presente nos aterros, rios e mares deste continente.

Joe Howe, um dos investigadores, declarou em comunicado que “um subproduto deste processo é a electricidade, o que significa que o plástico usado não pode apenas carregar carros eléctricos, mas também pode manter as luzes acesas em casa. Certamente o mundo deve acordar para esta tecnologia. O que tornará o desperdício de plástico valioso, com a capacidade de alimentar as cidades do mundo e, mais importante, pode ajudar a limpar os nossos oceanos de lixo plástico”.

Sendo o Oceano Pacífico o maior depósito de plástico marítimo, a recolha de plástico do mesmo poderá vier a ser realizada com vista à produção de energia, deixando deste modo de ser vista como um investimento sem retorno.

Comentários